John Cusack

#44 Conta Comigo

stand-by-me-stand-by-me-31423132-1960-13161

Conta Comigo hoje em dia talvez seja mais conhecido pela presença de River Phoenix (astro em ascendência, falecido em 1993 precocemente por insuficiência cardíaca induzida por drogas) e pela trilha sonora que têm a música Stand By Me (nome original do filme).

Baseado em um conto de Stephen King, Conta Comigo é uma história sobre amizade e personalidade na infância/adolescência. Não li a história que originou o filme, mas tenho certeza que o diretor Rob Reiner captou a essência que precisava para tornar a história algo mais. O algo mais que digo, é um pouco além do espírito cinematográfico dos anos 80. É uma história de amizade, que talvez não como no filme, mas todos tivemos quando éramos mais novos e cheios de espírito de aventura.

O resultado final do filme é agradável e hoje em dia é um clássico contemporâneo do cinema. Em relação a técnicas de filmagem e técnicas cinematográficas, não me acrescentou nada demais. Mas este é um daqueles filmes em que a história supera essas qualidades marcantes do cinema. Um filme que nunca é tarde para se assistir, e nunca demais para ser revisto. Fica a sensacional presença em cena do jovem River Phoenix e atuações de ótimos atores do cinema dos anos 80.

É relatado pela internet que este conto é inspirado em uma experiência pessoal de Stephen King.

*Este artigo foi escrito quando eu estava levemente alterado pelo álcool, qualquer erro gramatical ou repetição de frases é puro efeito da bebida.

stand_by_me_ver2

Conta Comigo (Stand By Me). EUA 1986. 89 min. Direção de Rob Reiner. Roteiro de Raynold Gideon, Bruce A. Evans e Stephen King (história). Com Will Weathon, River Phoenix, Corey Feldman, Jerry O’Connell, Kiefer Sutherland, John Cusack.

NC: 7     NP: 6     IMDB: Conta Comigo

Por: Ricardo Lubisco

Anúncios

O Júri

Dustin Hoffman e Gene Hackman protagonizam a melhor cena do filme.

O Júri é um daqueles filmes de suspense bom para se assistir como distração, e só. Não que o filme seja ruim, mas ele não traz nada mais do que um bom passatempo.  O filme é baseado no romance de John Grisham (A Firma, O Dossiê Pelicano, O Cliente) e após o roteiro ser desenvolvido por anos e ter passado pela mão de alguns diretores, acabou sendo dirigido pelo mediano Gary Fleder, (Beijos que Matam, Refém do Silêncio) sendo este o filme de maior importância em sua carreira. O maior atrativo de O Júri provavelmente está em seu elenco. É a primeira vez que os amigos Dustin Hoffman e Gene Hackman contracenam juntos, além de um ótimo John Cusack (em ascensão na época) e uma competente Rachel Weisz. Outra qualidade é o fato de podermos presenciar os conflitos de um júri popular, quase não evidenciados em qualquer filme de tribunal.

É um filme com uma boa história (assim como a maioria dos romances de Grisham), que conta com uma direção básica, com um elenco renomado para dar força à produção. Longe de ser o melhor filme de tribunal que assisti, mas que não deixa de ter seus atrativos.

O Júri (The Runaway Jury). EUA 2003. 127 min. De Gary Fleder. Com Dustin Hoffman, Gene Hackman, John Cusack, Rachel Weisz e Joanna Going.

NC: 4     NP:    IMDB: http://www.imdb.com/title/tt0313542/

Por: Ricardo Lubisco

Tiros na Broadway

Woody Allen é sempre bom. Eu já assisti a boa parte de sua filmografia até aqui, e não houve uma única vez em que no mínimo, não tenha achado o filme bom. Com Tiros na Broadway, não é diferente. Geralmente eu prefiro os filmes em que Woody atua, o que acaba sendo inigualável obviamente. Porque ninguém melhor para interpretar seus personagens neuróticos do que ele, mas neste filme particularmente, John Cusack encarna o Allen enrustido nele e faz uma de suas grandes atuações. De todos os filmes que vi, acho difícil lembrar algum outro ator que tenha ficado tão bem no papel, quanto o próprio Allen. E o resto do filme em si é ótimo também. Tudo está lá. Os diálogos sarcásticos, as piadinhas de humor negro, os romances e suas traições, a trilha sonora regada a Jazz, a bela fotografia, ou seja, tudo que um filme de Allen deve ter. O filme teve 7 indicações para o Oscar 1995, vencendo apenas na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante, com Dianne Wiest. Vale lembrar que os 2 Oscar da carreira de Wiest, vieram de filmes de Woody. Este e o excelente Hannah e suas Irmãs.

Tiros na Broadway (Bullets Over Broadway). EUA 1994. 98 min. Direção de Woody Allen. Com John Cusack, Dianne Wiest, Jennifer Tilly, Chazz Palminteri, Mary-Louise Parker, Jack Warden, Joe Viterelli.

NC: 7     NP: 7     IMDB:    http://www.imdb.com/title/tt0109348/

Por: R. Lubisco