Matt Damon

Argo

Benjamin Geza Affleck, também conhecido como Ben Affleck (Gênio Indomável, Armageddon), firma com o seu mais recente filme, um nome forte na direção cinematográfica. Affleck que é mais conhecido por seus trabalhos com o ótimo Kevin Smith (O Balconista, Pagando Bem, Que Mal Tem?) , e por Gênio Indomável, seu melhor filme como ator até agora (na minha opinião), o qual recebeu o Oscar de Melhor Roteiro Original junto com Matt Damon (Os Infiltrados, A Identidade Bourne). Ao mesmo tempo em que ele demonstra uma confiança e maturidade absurdas para direção, continuo não gostando muito dele atuando. Pra mim o Affleck tem um ar todo de canastrão que não contribui em nada para filmes tão bem desenvolvidos e com histórias mais complexas, porque, ao mesmo tempo que este ar dá uma descontraída no personagem, faz com que perca bastante credibilidade. Gostaria de vê-lo mais vezes atrás das câmeras, e quando quisesse participar de seus filmes, que fosse em papéis coadjuvantes e extrovertidos, que lhe caem muito bem. Exemplo: Um momento de Argo em que o seu personagem tem que tomar uma decisão, a câmera foca em Affleck olhando para baixo, e quando a música em efeito progressivo para, ele olha para a câmera com um olhar decisivo. Inclusive chega a ser um ponto negativo do filme, pois este clichê, este momento único do filme, chega a destoar de uma excelente montagem, direção, fotografia, e atuações. Para concluir, se por um lado é ótimo ter Ben Affleck realizando produções de “gente grande”, com uma direção certeira, é triste vê-lo com uma atuação em que deixa muito a desejar.

Além da direção, Argo tem de muito bom a participação coadjuvante (mas de grande importância) de Alan Arkin (Edward Mãos de Tesoura, Pequena Miss Sunshine). Este senhor de 78 (!) anos, que já nos brindou com excelentes papéis (quem não lembra dele em Pequena Miss Sunshine) faz valer a pena todos os minutos em que aparece na tela, e é um dos principais destaques do filme.

As surpresas do filme que não me cabem aqui falar, ficam por conta da trilha sonora, das inúmeras referências ao cinema ao longo do filme, e do título do mesmo. Só assistindo este filmão para descobrir o quê Argo significa.

Argo Fuck Yourself!

Argo. EUA 2012. 20 min. Direção de Ben Affleck. Com Ben Affleck, Bryan Cranston, Alan Arkin, John Goodman, Victor Garber.

NC: 8     NP: 7     IMDB: http://www.imdb.com/title/tt1024648/

Por: Ricardo Lubisco

O Homem que Fazia Chover

Certamente O Homem que Fazia Chover não é o mais conhecido dos filmes do grande cineasta que é Francis Ford Coppola (O Poderoso Chefão), mas em compensação, é uma das melhores adaptações ao cinema já feita das conhecidas obras de John Grisham (O Júri, O Dossiê Pelicano).

O filme é simples e deve ter surpreendido muitos desavisados nos créditos finais ao apresentar o nome de Coppola, que é mais conhecido por suas grandiosas obras. Particularmente, sinto um certo prazer em assistir a estes filmes “menores” de diretores consagrados. E quem esperava assistir a um filme banal, se engana redondamente. O Homem que Fazia Chover acerta em quase todos os aspectos, desde o seu roteiro muito bem escrito (Coppola de novo), aos atores escolhidos e muito bem colocados em cada papel. Matt Damon ainda em começo de carreira com uma atuação muito boa ( o filme é de 1997, mesma época de Gênio Indomável, vencedor do Oscar de Melhor Roteiro Adaptado, escrito por Damon e Ben Aflleck), com Danny DeVito no papel do sócio atrapalhado/fracassado, além de ótimas participações de Mickey Rourke, John Voight e Claire Danes, entre outros nomes conhecidos do cinema.

Quem é fanático por filmes de tribunal, talvez se decepcione. Mesmo sendo um longa voltado para este tema, o filme peca em focar sua atenção nas partes técnicas de um julgamento e vai muito mais para o lado do drama, de redenção, etc. De maneira alguma isto é um ponto negativo, e acredito que o filme alcança o máximo que se poderia ter baseado em sua história.

O filme é limitado e deve ter sido visto por muitos, como um dos filmes mais fracos de Coppola. A minha opinião pessoal é de que é um filme bom, de bom entretenimento, e apenas isso. Vale pela história humanitária e pelas ótimas atuações.

Algumas curiosidades do filme:

– A primeira versão final do filme tinha aproximadamente 6 horas de duração.

– É a adaptação favorita de John Grisham, de todos os seus livros.

– É o último filme da atriz Teresa Wright.

– Edward Norton fez o teste para o papel principal, do advogado recém formado Rudy Baylor.

O Homem que Fazia Chover (The Rainmaker). EUA 1997. Direção de Francis Ford Coppola. Com Matt Damon, Danny DeVito, Claire Danes, John Voight, Teresa Wright, Danny Glover, Mickey Rourke, Dean Stockwell, Mary Kay Place.

NC: 6     NP: 7     IMDB: http://www.imdb.com/title/tt0119978/

Por: Ricardo Lubisco

Compramos um Zoológico

Um filme mediano de um bom diretor. Cameron Crowe (Quase Famosos, Vida de Solteiro, Vanilla Sky, Jerry Maguire) assina o roteiro e direção da história baseada no livro de Benjamin Mee, na qual uma família assume o comando de um zoológico em decadência com a missão de reerguer o lugar, que dispõe de vários animais em extinção, além de resolver seus próprios problemas familiares. Não cheguei a ler o livro, mas pesquisando sobre ele na internet, chega-se claramente a conclusão que Crowe tomou um rumo diferente na história, que é baseada em fatos reais acontecidos com o próprio Benjamin. Não vejo grande destaque na atuação de Matt Damon e Scarlett Johansson, e vejo mais brilhantismo na atuação do pequeno Colin Ford, do que na deles. A trilha sonora composta por Jónsi, integrante da banda Sigur Rós, é uma parte importante e constante do filme, mas desta vez não é tão sedutora como nas outras obras do diretor. Apesar de tudo, é um filme divertido e que se encaixa perfeitamente como um leve entretenimento. Como obra cinematográfica, sabendo de quem vem, deixa muito a desejar.

Compramos um Zoológico (We Bought a Zoo). EUA 2011. 124 min. Direção de Cameron Crowe. Com Matt Damon, Scarlett Johansson, Thomas Haden Church, Colin Ford, Maggie Elizabeth Jones e Elle Fanning.

NC: 5     NP:     IMDB: http://www.imdb.com/title/tt1389137/

Por: R. Lubisco