Sue Smith

Walt nos Bastidores de Mary Poppins

saving mr banks

Assisti à Walt nos Bastidores de Mary Poppins, filme que entrou em cartaz recentemente nos cinemas do país, e que recebeu uma recepção bem morna da crítica especializada por não retratar com mais realidade a conturbada relação do poderoso Walt Disney com a escritora P. L. Travers, criadora da famosa babá voadora, e que roteirizou o musical de 1964, tema deste filme.

O problema deste longa, dirigido por John Lee Hancock (Um Sonho Possível), é a passividade em contar uma história que poderia render um grande filme. O que na verdade não é uma grande surpresa quando foi a própria Disney que produziu o filme, certamente com uma ideia de celebração dos 50 anos do clássico de 1964.

Então aqui temos Tom Hanks, com uma atuação mediana encarnando Walt Disney, e mostrando alguns detalhes pessoais e interessantes do criador do Mickey Mouse, como o hábito de fumar escondido de todos. Temos Paul Giamatti, em um pequeno papel, mas que se torna um dos melhores personagens do filme devido a grandeza do ator, que nos brinda há tempos com ótimos momentos no cinema. Temos Jason Schwartzman, como um dos irmãos Sherman, responsáveis pela premiada trilha-sonora do filme original, que está de certa forma ofuscado (o famoso não fede, nem cheira) e não faz jus as ótimas atuações que estamos acostumados a ver nos filmes de Wes Anderson. A principal atuação vem de Emma Thompson, que interpreta de maneira excelente a escritora mal humorada e cheia de manias, tema principal do filme.

A história que envolve os acontecimentos da vida pessoal da escritora com a criação da personagem Mary Poppins, assim como a sua relação intransigente de trabalho durante a construção do musical de 64, erra feio ao misturar flashbacks da infância de Travers na história principal do filme, que é a relação dela com Disney, e com o trabalho de roteirizar a sua personagem para o cinema com os funcionários do estúdio. São momentos descartáveis em que o filme perde o espectador, para tentar dar sentido ao comportamento da escritora, o que torna o filme demasiado longo e cansativo. Falta uma instigação de querer fazer cinema de verdade, de se aprofundar na história e nos personagens. É um filme sobre a escritora P. L. Travers, mas falta muita personalidade de P. L. Travers para o filme ser bom.

Contudo, é uma boa opção para os cinéfilos curiosos com a criação do clássico musical, e para conferir a ótima atuação de Emma Thompson. Fora isso, parece ser um desperdício de uma boa história a ser contada, pois John Lee Hancock criou um filme padrão Disney, para a Disney.

saving_mr_banks

Walt nos Bastidores de Mary Poppins (Saving Mr. Banks). EUA/UK/AUS 2013. 125 min. Direção de John Lee Hancock. Roteiro de Kelly Marcel e Sue Smith. Com Emma Thompson, Tom Hanks, Colin Farrel, Paul Giamatti, Jason Schwartzman.

NC: 5     NP: 6     IMDB: Walt nos Bastidores de Mary Poppins

Por: Ricardo Lubisco

Cotação dos Críticos:

Natália Bridi (Omelete) – ♠♠♠

Francisco Russo (Adoro Cinema) – ♠♠♠

Michel Simões (Toca do Cinéfilo) – ♠♠½

Pablo Villaça (Cinema em Cena) – 

Anúncios