Woody Harrelson

Jogos Vorazes

Still-from-The-Hunger-Gam-008

Jogos Vorazes apenas é um sucesso devido à burrice das pessoas, a eterna mania de se contentar com qualquer coisa moldada para agradar a gregos e troianos, e a inevitável arte do cinema, a qual diferentemente da pintura, leitura, e tantas outras artes, não precisamos de qualquer discernimento e conhecimento prévio, apenas ter um par de olhos e deixá-los parados em frente a uma tela.

Mas calma, não se espantem com o tom revoltado com o qual dei início a este texto. Jogos Vorazes está longe de ser um filme tão ruim assim, mas se sustenta apenas na atuação da ótima Jennifer Lawrence. Todo o resto que vemos na tela, é uma cópia descarada de tudo que já foi visto em Batoru rowaiaru ou Battle Royale, como é mais conhecido esse filme japonês lançado no ano 2000. Bem, não é exatamente uma cópia descarada, pois devido as proporções Hollywoodianas, foram adicionadas pitadas de romance e açúcar. Resumidamente, me parece o enredo de Battle Royale misturado com a baboseira de Crepúsculo. Um forte indicativo disto, são os fãs dos dois filmes. Exatamente iguais.

Apesar de tantos pontos negativos no filme, as atuações de Woody Harrelson, Donald Sutherland, e da Jennifer Lawrence (já citada anteriormente) são muito boas e garantem os melhores momentos do filme. A jovem atriz carrega o filme nas costas com uma atuação respeitável, demonstrando muito talento, e o motivo pelo qual faturou o Oscar desse ano com O Lado Bom da Vida.

Ainda assim, Jogos Vorazes acaba sendo um entretenimento muito barato, focado no público adolescente para fazer rios de dinheiro.

Me senti um pouco pessimista escrevendo este texto, mas acredito que qualquer apreciador de um bom cinema tenha uma opinião parecida com a minha. Como diz a letra de uma música dos Titãs, “a gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte”. Ou seja: não me venha com entretenimento barato, cópia de um filme japonês, e que parece o romance dos vampiros modificado. Me traga algo realmente instigante, um entretenimento leve e divertido, um filme para querer rever, uma ficção utópica. Qualquer coisa que seja original e bem feita. Qualquer idéia, sentimento, ou pensamento único. Mas, por favor, não me faça de panaca com um filme adaptado de um livro para uma faixa etária de 13 à 16 anos, disfarçado de uma ficção surpreendente.

É a triste máquina de Caça-Níqueis trabalhando incessantemente em algum lugar da Califórnia.

hunger_games_ver24

 

Jogos Vorazes (The Hunger Games). EUA 2012. 142 min. Direção de Gary Ross. Roteiro de Gary Ross, Suzanne Collins (romance), Billy Ray. Com Jennifer Lawrence, Stanley Tucci, Josh Hutcherson, Woody Harrelson, Donald Sutherland.

NC: 6     NP: 4     IMDB: Jogos Vorazes

Por: Ricardo Lubisco

Anúncios

Truque de Mestre

NOW YOU SEE ME

Enquanto terminava de assistir a este filme ontem a noite, fiquei imaginando como começaria este texto. Poderiam ser de várias formas, desde “este filme não é ruim, é uma bosta” até algo mais sutil como “use seu tempo livre para assistir qualquer outro filme”. Optei por começar dizendo que Truque de Mestre, por todo o seu marketing e reunião de bons atores, é uma das grandes decepções do ano, certamente um dos piores filmes lançados neste 2013.

Há tempos descobri da pior maneira que uma reunião de bons atores não é significado de filme bom, mas este se superou.

Se você tem curiosidade sobre o filme, assista o trailer. São apenas dois minutos que resumem todo o filme e te poupam da lenta dor de assistir a esta peça rara de mau gosto.

Truque de Mestre é um filme sem sentido, feito para surpreender o expectador em um final esperado e com flashbacks “reveladores”. O desenvolvimento dos personagens é raso, sendo todos eles mal construídos no roteiro. Roteiro este que é uma das piores coisas do filme, pois o tempo todo mostra eventos grandiosos sem nenhuma ligação aparente, e com truques de mágica somente possíveis na tela do cinema, e porque o filme aborda o tema de ilusionismo. Junte a isto uma péssima edição, e teremos o resultado final do filme.

É uma pena, pois a idéia do filme é muito interessante, tendo em vista que filmes sobre mágica e ilusionismo quase não existem. Lembro dos recentes O Grande Truque e O Ilusionista, exemplos para este filme do diretor Louis Leterrier (Cão de Briga, Furia de Titãs).

Um filme que após o corte final deveria ter sido recusado pelo estúdio e produtores. Um belo pedaço de nada.

E o pior de tudo é que uma continuação já foi anunciada.

now_you_see_me

 

Truque de Mestre (Now You See Me). FRA/EUA 2013. 115 min (de tortura). Direção de Louis Leterrier. Roteiro de Ed Solomon, Boaz Yakin, Edward Ricourt. Com Jesse Eisenberg, Mark Ruffalo, Woody Harrelson, Isla Fsher, Dave Franco, Mélanie Laurent, Morgan Freeman, Michael Caine.

NC: 3     NP: 1     IMDB: Truque de Mestre

Por: Ricardo Lubisco

Sete Psicopatas e um Shih Tzu

seven-psychopaths4Um filme que não precisava terminar. É assim que eu me sinto após assistir a este excelente filme do diretor Martin McDonagh. Após uma brilhante estréia dirigindo longa-metragens com Na Mira do Chefe (2008), era difícil imaginar que Martin faria de seu próximo filme algo tão bom, exatamente por Na Mira do Chefe já superar expectativas. Sete Psicopatas (que não precisava de “e um Shih Tzu” no título) é obra de uma inteligência respeitável. Humor negro ao extremo. Impossível escolher esta ou aquela parte para citar como destaques, pois os detalhes são uma crescente no filme, e deixam de ser coadjuvantes para se tornarem a história principal.

Vida longa ao bom humor que desta forma é empregado: Politicamente incorreto, louco, nonsense, vertiginoso, escrachado, absurdo. Sam Rockwell está delirantemente grandioso. Como não foi indicado em nenhuma premiação importante?

Sete Psicopatas é como já disse, um conjunto. De grandes idéias, grandes atuações, grande trilha, e como já constatado em Na Mira do Chefe, obra do brilhante (guardem esse nome Senhoras e Senhores) Martin McDonagh.

Assista sem ler a sinopse, sem ver o trailer, sem ler qualquer crítica que conte a história do filme. Abra uma cerveja, acenda um cigarro (até mesmo você que nao fuma, esse merece uma pitada) e apague a luz do seu abajur:

Um ótimo filme vai começar!

PS: Aos desavisados e críticos de cinema ali da esquina, o filme não tem absolutamente nada a ver com os filmes do Tarantino. É puro humor britânico!

seven_psychopaths_ver15Sete Psicopatas e um Shih Tzu (Seven Psychopats). UK 2012. 110 min. Direção de Martin McDonagh. Com Michael Pitt, Sam Rockwell, Colin Farrel, Christopher Walken, Linda Bright Clay, Woody Harrelson, Gabourey Sidibe e Tom Waits.

NC:   NP: 8     IMDB: Sete Psicopatas

Por: Ricardo Lubisco

Sete Vidas

Assisti este filme bem atrasado, ele é de 2008, mas por medo do que me esperava não o vi. Sempre que me indicam muito o filme ou o falatório é demasiado me intimido.

Bem neste caso me arrependi de não ter visto antes, pois trata-se de um belo drama…

Will Smith segura muito bem o papel, mostrando ser um ator de primeira linha. A cada filme novo do ator vem um atestado de -pelo menos- um bom filme.

A proposta é bem menos “jogada” do que no filme anterior do diretor com Will, “A Procura da Felicidade”. Isso faz com que seja mais maduro o desenrolar. A atuação de Rosario Dawson está incrível. A quimica do casal (Will e Rosario) funciona super bem.

Outro ponto que adorei foi a breve participação de Woody Harrelson (que adoro), no papel de um cego. Mesmo aparecendo pouco proporciona cenas incríveis e emocionantes.

Muito bom filme para os dias turbulentos em que vivemos.

Quero concluir contestando alguns comentários que ouvi e li (e não foram poucos), de que este é um dos melhores dramas já feitos e etc. Acho isto absurdo, trata-se de um grande  filme mas não a tal ponto, então vou citar alguns dramas escolhidos rapidamente só para acrescentar meu comentário.

A Felicidade não se Compra – de Frank Capra

Farrapo Humano – de Billy Wilder

O que terá acontecido a Baby Jane? – de  Robert Aldrich

A Um Passo da Eternidade – de Fred Zinnemann

O Sétimo Selo – de Ingmar Bergman

A Escolha de Sofia – de Alan J. Pakula

Amadeus – de Milos Forman

Magnólia – de Paul Thomas Anderson

Sete Vidas (Seven Pounds). EUA 2008. 123 min. Direção de Gabriele Muccino. Com Will Smith, Rosario Dawson, Woody Harrelson, Michael Ealy, Barry Pepper.

NC – 7     NP – 6      IMDB – http://www.imdb.com/title/tt0814314/

Por: J. Soares